Com apoio da PM e Polícia Civil, Prefeitura acaba mais uma vez com a invasão na APP em Barra Grande

0 147

Como apoio da PM e Polícia Civil, a Prefeitura de Maraú realizou na última terça-feira (24) uma vistoria técnica e retirada de demarcações de invasores na APP em Barra Grande; durante a ação mais 20 pessoas foram detidas e, segundo os agentes da Polícia Civil, devem responder por crimes ambientais.

Com fiscais da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente e da Secretaria de Infraestrutura, tem ocorrido o monitoramento do local, alvo da ação de invasores, desde a última terça-feira (17), quando realizaram a primeira demolição de estruturas montadas por aproximadamente 60 pessoas que se encontravam no local.

Após a retirada, os invasores voltaram a piquetear a área, para demarcar novamente os lotes, sendo necessária uma ação mais contundente por parte do poder público.

Além de ser área de preservação permanente (APP), o local é área de risco de alagações. O material utilizado pelos invasores foi recolhido por agentes da Infraestrutura. Já há indícios dos responsáveis pela invasão, e estes poderão ser responsabilizados pelos danos ao meio ambiente, segundo o Delegado Marcos Laroca. Como a ação dos invasores era recente não houve maiores problemas na retirada.

As policias civil e militar estiveram no local para acompanhar a vistoria dos prepostos da prefeitura. No local, a PM realizou algumas abordagens, a pessoas que passavam na pista que dá acesso a área, tendo alguns veículos sendo apreendidos por irregularidades

A invasão no local é considerada crime ambiental, por se tratar de uma APP (Área de Preservação Permanente), conforme dispõe a Lei Federal nº 9.605/98, passível de pena de detenção de um a três anos e multa de até R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) por hectare danificado.

TAIPU DE FORA

Já nesta quarta-feira (25) a equipe também retirou cercas irregulares em áreas públicas em Taipu de Fora, também no Distrito de Barra Grande. Uma retroescavadeira foi utilizada para agilizar o trabalho.

A invasão no local é considerada crime ambiental, por se tratar de uma APP (Área de Preservação Permanente), conforme dispõe a Lei Federal nº 9.605/98, passível de pena de detenção de um a três anos e multa de até R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) por hectare danificado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Complete a matemática para poder acessar *